A ousadia de Alaine Magalhães

Ela estava em busca de novas oportunidades no emprego dela, e acabou descobrindo um novo mundo

A engenheira agrônoma Alaine Cristine Magalhães Mota jamais esperaria que seu amor por cerveja artesanal pudesse se tornar algo profissional em tão pouco tempo. Apenas um ano após começar a fazer cervejas em sua panelinha, Alaine já estava produzindo suas receitas em um equipamento profissional de 250 litros da Mec Bier.

Moradora da cidade de Januária, localizada ao norte de Minas Gerais, Alaine, de apenas 30 anos, começou a se interessar pela arte da cerveja caseira após visitar a Planta Piloto da USP/ EEL em Lorena (SP). “Estava em busca por melhores oportunidades de emprego na minha área, então resolvi sair de minha cidade em 2016 e ir para São Paulo estudar”, revela a engenheira que, na época era responsável técnica em uma empresa de fabricação de cachaça. “Na USP acompanhei a produção de cerveja por algumas semanas e achei bem interessante, foi então que decidi voltar um mês depois ao meu município e colocar em prática tudo o que havia aprendido”.

A partir daí, Alaine buscou aprender cada dia mais sobre o que ela chama de “esse mundo maravilhoso das cervejas artesanais”. Logo ela começou a pesquisar mais na internet sobre equipamentos pequenos para produção caseira. Como estava sem trabalhar, Vicente Carneiro, um tio dela, se propôs a comprar o equipamento para ajudar no sonho. “Logo que meu primeiro kit chegou, já coloquei a mão na massa e comecei a fazer minhas primeiras brassagens”, conta.

Para testar a aceitação de sua cerveja, Alaine usou uma estratégia simples, mas bem eficaz. Como a pequena cidade de Januária fica em uma região quente, ela se beneficiou do alto consumo de cervejas no local e começou a distribuir as primeiras garrafas aos clientes de um bar de propriedade de sua mãe. “Aos finais de semana servimos nosso tradicional frango caipira. Aproveitei o alto movimento para oferecer a cerveja”, comenta. “Muitos experimentavam e daí em diante a procura foi aumentando, então percebi que meu pequeno kit de 40 litros já não estava dando conta da demanda”, relembra.

Sabe aquele tio que acreditou no potencial da cervejeira desde o início? Então, ele logo propôs a ela uma sociedade para aumentar a produção e profissionalizar a cervejaria. “Meu tio me chamou e perguntou o que era necessário fazer para aumentar a produção. A partir daí já começamos o processo para abertura da empresa”.

Como tudo foi acontecendo muito rápido, até então Alaine oferecia as garrafas sem uma identificação. “Percebi que tinha que dar um nome muito rápido, então pensei em colocar o meu próprio apelido (Lay) e acabou permanecendo Lay Beer (@cervejarialaybeer) durante o processo de registro da marca”, conta rindo.

Para a cervejeira, as mulheres ainda sofrem preconceitos no mercado, mas acredita que tudo isso em breve será superado. “Pertencemos a esse mundo também, não é algo só para homens”. Ela acredita que a participação feminina tende a crescer muito ainda. O grande diferencial para Alaine está na sensibilidade e detalhismo das mulheres. “Com isso conseguimos absorver muitas novas informações e fazer a mesma coisa, mas de forma diferenciada”.

O futuro para a cervejeira já está desenhado. Ela agora pretente se profissionalizar mais e buscar desenvolver novos estilos para atender aos diversos perfis de clientes. Além disso, Alana planeja abrir em breve o Brew Pub Lay Beer. “Agradeço muito a Deus por ter me guiado, ao meu tio por ter acreditado em mim e aos cidadãos Januarenses por terem abraçado essa ideia e aceitado tão bem meu produto, para que eu pudessse continuar acreditando nesse sonho”, finaliza.

Anúncios

2 comentários em “A ousadia de Alaine Magalhães

Adicione o seu

  1. Parabéns Prima, estou muito feliz e orgulhoso por ver que seu trabalho, empenho, dedicação e a busca contínua pelo conhecimento, está tornando seu sonho e sua conquista, cada vez mais forte.
    Nunca desista dos seus sonhos.
    Toda a nossa família sempre estará te apoiando no que der e vier.

    Desejo à você todo o sucesso do mundo, pois mais do que ninguém, sei e vi o quanto você batalhou para esta realidade que é a marca da nossa mais nova cerveja favorita “LAYBEER”, e que a mesma se propague e se torne cada vez mais forte nos próximos anos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: