Cervejeiros debatem tendências do mercado em São Paulo

Evento organizado pela Escola Superior de Cerveja e Malte contou com a presença de produtores e influenciadores do setor

Discutir os rumos, desafios, barreiras e os fatores que podem impulsionar o setor de cervejas no Brasil. Foi com esse objetivo que a Escola Superior de Cerveja e Malte (de Blumenau/SC) realizou, nesta segunda-feira (15/04) o debate “Tendências do Mercado Cervejeiro”.

O evento, realizado na Universidade São Judas Tadeu, na cidade de São Paulo/SP, contou com a presença de Ulisses Malacrida, do blog Malte Papo, Rodrigo Rosa, diretor da Acerva Paulista, Rodrigo Freire, da Prodooze, Taiga Cazarine, Jornalista, Sommerlier e Negócios Internacionais de Cervejas e André Barata, da Cervejaria Nacional. Mais de 70 pessoas estiveram presentes no local, e puderam participar ativamente do debate, moderado por Carlo Bressiani, da Escola Superior de Cerveja e Malte.

Durante a conferência os participantes da mesa expulseram sua visão sobre a atual conjuntura do setor. Para Malacrida, a descentralização dos bares, pubs e tap houses dos locais tradicionais para os bairros, é um ponto positivo para o momento. “Hoje você não precisa se deslocar mais, pode beber localmente e correr menos riscos indo para locais afastados de sua casa”, revela. Já Freire destacou a inovação e a experiência dos produtores com novos insumos. “São tendências que vieram para ficar, como as cervejas de barricas por exemplo”.

Rodrigo Rosa lembra que o consumidor está mais consciente e buscando alternativas fora daquilo que é ‘empurrado’ pelo mercado internacional. Já para Taiga, essa tendência nacional de crescimento do setor é reflexo do que se vê em outros países. “Todos estão surfando na mesma onda, até mesmo os mais tradicionais”. Barata comenta que o grande problema é que as cervejarias falam sempre com o mesmo público consumidor, quando o correto seria expandir o mercado. “É preciso sair da bolha, levar a cerveja para o público mais comum, mainstream, porém para isso, precisamos de preço acessível”.

Bressiani também acredita que é preciso falar mais com esse público mais comum, para ele as cervejarias precisam se aproximar da comunidade. “A cerveja precisa chegar no povo, e não nos já convertidos”, revela. “Nossa bebida precisa ser popular, a comunidade tem que abraçar a cervejaria e a cervejaria abraçar a comunidade”.

Sobre as barreiras, o participantes comentaram sobre a aliquota alta de taxas e impostos. Porém, Barata acredita que isso possa ser superado. Para ele a necessidade no momento é que toda a cadeia produtiva entre em um consenso para abaixar suas margens e, assim, chegar a um preço acessível ao consumidor comum. “Mas isso só vai dar certo se toda a cadeia produtiva estiver de acordo”.

A burocracia brasileira foi citada como outro entrave no processo. Taiga cita o exemplo de exportadores que desistiram de enviar produtos ao Brasil devido ao grande número de papéis impostos pelo país para entrada no mercado.

A grande notícia é que, para todos, há ainda um grande espaço a conquistar. Só em São Paulo, há mais de 1 milhão de habitantes por cervejaria, número muito superior a Porto Alegre (uma cervejaria para cada 40 mil habitantes). “É preciso que haja união dos cervejeiros. Enquanto estivemos brigando pelo pequeno pedaço do bolo, nada vai mudar, só vamos conseguir vencer juntos”, desafia Carlos Bressiani. “Mas para ter essa união, é preciso se associar a Abracerva, é dalí que os anseios do mercado poderão ser finalmente ouvidos”, finaliza Barata.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: